Usuários ConstruaNegócios
Usuário  
Senha
Quero me cadastrar  |  Esqueci minha senha
Busca
RSS Adicionar aos favoritos Siga-nos no Twitter Confira a edição

 
 
 
 
     
       
 
   
 
 


Gerenciamento de obras é tão importante quanto produção
A gestão é parte fundamental de qualquer obra e deve ser compreendida como um investimento para que os resultados sejam positivos e os prazos sejam cumpridos.
Gerenciamento de obras é tão importante quanto produção
Foto: Divulgação
O gerenciamento de obras feito de maneira ineficiente, pode gerar um impacto direto na queda de produtividade dos canteiros devido à falta de planejamento adequado das equipes de produção, cronograma de compra, entrega de materiais e logística.

Gerenciar uma obra significa administrar, simultaneamente, todas as etapas produtivas e burocráticas da construção. Quem assume esse papel deve entender de custos, contratos e prazos de entrega, assim como ser organizado e um bom gestor de pessoas.

O engenheiro Rodrigo Quadrado, gerente da Unidade de Gerenciamento do CTE (Centro de Tecnologia de Edificações), aponta as possíveis consequências de um mau gerenciamento: prazos não cumpridos, descolamento de custos em relação ao orçamento base e queda na qualidade da obra.

Segundo o engenheiro, superar o problema da falta de mão de obra especializada, seria um grande passo na melhoria da gestão de obras. Mas a questão vai além: é necessária uma mudança de paradigmas na gestão tradicional de obras, a definição de novos processos e métodos inovadores de gerenciamento, uma vez que, hoje, as construtoras/incorporadoras muitas vezes têm 50 ou 60 canteiros sendo gerenciados simultaneamente, e não mais dois ou três como no passado recente, explica.

Gerenciamento de obras eficiente

Uma gestão eficiente, de acordo com Quadrado, exige uma metodologia que integre as seguintes questões:

• Planejamento da produção;
• Planejamento operacional e logístico;
• Controle sistemático de prazos;
• Controle eficiente de custos;
• Gestão de pessoas;
• Gestão da qualidade;
• Segurança e meio ambiente.

Com esses processos bem definidos e aplicados adequadamente dentro de diretrizes e metas pré-estabelecidas, é possível gerir, simultaneamente, os recursos, o cumprimento do cronograma e a previsão financeira.

Gerenciamento total x parcial

É possível definir diferentes formas de gestão, o ideal para a sua obra pode ser definido com o contratante. Há o gerenciamento total, que inclui a contratação de materiais, serviços e mão de obra, conhecido como turn key ou chave de mão, onde um único escritório fica responsável por todos os serviços. E há a gestão parcial, onde alguns itens são gerenciados pelo arquiteto ou engenheiro, enquanto outros, como a compra de insumos, ficam sob responsabilidade do cliente.

Ferramentas que auxiliam na gestão

É fundamental a utilização de ferramentas que possibilitem fazer um bom planejamento, programar e controlar os serviços a serem executados de forma integrada com os processos e custos das empresas.

As ferramentas e práticas do PMI (Project Management Institute), que estão perfeitamente alinhadas a esse conceito, podem ser muito úteis para garantir um bom gerenciamento.

FONTE: Mapa da Obra


« voltar | versão para impressão | enviar notícia por email | topo