Usuários ConstruaNegócios
Usuário  
Senha
Quero me cadastrar  |  Esqueci minha senha
Busca
RSS Adicionar aos favoritos Siga-nos no Twitter Confira a edição

 
 
 
 
     
       
 
   
 
 


Construtoras unem-se para prevenir acidentes
Numa iniciativa pioneira no Brasil, um grupo de construtoras, sob coordenação do Seconci-SP, iniciou um projeto que visa criar indicadores para difundir a cultura de Segurança do Trabalho e medir a sua relação com a produtividade da construção civil.
Construtoras unem-se para prevenir acidentes
Foto: Divulgação
A ideia é unificar diferentes indicadores de Segurança do Trabalho, levantar os custos gerados por acidentes e o percentual de investimento realizado pelas construtoras em relação ao custo da obra, além de evidenciar os impactos negativos relacionados à imagem das empresas frente às ocorrências de incidentes. O primeiro passo do projeto é a identificação dos diversos dados existentes. “Há uma deficiência de estatísticas confiáveis no mercado referentes a acidentes de trabalho na construção civil. Como o Seconci-SP visa a segurança do trabalhador, pretendemos gerar um banco de dados que contribuirá para o setor como um todo”, explica José Bassili, gerente de Segurança Ocupacional da entidade. “Importante mencionar que garantiremos a confidencialidade das informações. Tabularemos dados como quantidade de acidentes, dias da semana em que são mais frequentes, faixa etária etc., não só das construtoras, como das subcontratadas envolvidas nas obras, para criar indicadores realmente funcionais”. Entre as construtoras participantes estão: Cyrela, que idealizou o projeto e procurou o Seconci-SP para operacionalizá-lo, Gafisa, Tenda, Bueno Netto, Even, MPD, Racional e Engeform. A intenção do Seconci-SP é ampliar a participação para outras empresas do setor.

Já foram realizados dois encontros para troca de ideias sobre o tema, mas a primeira reunião oficial do grupo de trabalho será em 22 de novembro, às 9h, no Seconci-SP, para a apresentação oficial do projeto à base de clientes da entidade. Todas as construtoras interessadas estão convidadas a participar! A criação dos indicadores e do banco de dados ficará a cargo do Iepac (Instituto de Ensino e Pesquisa Armênio Crestana) do Seconci-SP. O Instituto desenvolve estudos para o setor, em temas como inserção segura de pessoas com deficiência na indústria da construção e os motivos de afastamento dos trabalhadores por doenças.

FONTE: CBIC


« voltar | versão para impressão | enviar notícia por email | topo