Usuários ConstruaNegócios
Usuário  
Senha
Quero me cadastrar  |  Esqueci minha senha
Busca
RSS Adicionar aos favoritos Siga-nos no Twitter Confira a edição

 
 
 
 
     
       
 
   
 
 


Tecnologia para ver a casa nova
A tecnologia precisa invadir cada vez mais o processo de vendas e lançamentos do mercado imobiliário.
Tecnologia para ver a casa nova
Foto: Divulgação
A afirmação é do cofundador e diretor de marketing da Loox VR, Rodrigo Schneider, que conta como funciona o novo modelo de vendas de imóveis: a realidade virtual. Ele esteve em Fortaleza nesta semana para apresentar o tema no 2º InovaConstruir, evento realizado pelo Sindicato das Construtoras do Ceará. Rodrigo desenvolveu os óculos Loox VR Alpha, que utiliza o mesmo conceito do Cardboard, do Google, ou do Gear VR, óculos da Samsung. Os óculos de RV servem como um receptáculo para o smartphone, que é quem fornece a tela e o hardware necessários para rodar aplicativos e visualizar vídeos em 360 graus.

“O objetivo desse sistema é de proporcionar aos consumidores o primeiro contato com o imóvel”. Ele destaca que a sua empresa consegue produzir várias unidades mensalmente, ainda que seja possível comprar em outros estabelecimentos, dentro e fora do País. O dispositivo conta com duas lentes de 40 mm. O usuário encaixa o smartphone em uma espécie de tampa que fica na frente do acessório. São compatíveis celulares com tela de 4 a 6 polegadas que possuem giroscópio, como modelos mais recentes da Samsung, Motorola, LG, Asus e Apple.

Segundo Rodrigo, os óculos permitem uma visita dos apartamentos ainda em construção. “O equipamento facilita a vida do cliente, que pode ver diversos empreendimentos que estão somente no papel, sem se deslocar”, diz. Ele destaca que com os smartphones em alta, o aplicativo se torna terreno fértil para a realidade virtual nos empreendimentos.

“Trabalhar com o dispositivo permite que o consumidor sinta a diferença entre os empreendimentos, algo que justifica até o valor daquele imóvel específico. Está cada vez mais complicado vender um apartamento de R$ 1 milhão, sem que a pessoa veja o imóvel pronto nos próximos três anos”, diz. Rodrigo conta ainda que as pessoas que trabalham com o software são contratadas por fora da empresa, existem grupos especializados em decoração de interiores em 3D. No Brasil, o óculos mais barato custa, em média, R$ 124. O mais barato fora do País custa $ 5 dólares.

FONTE: O Povo


« voltar | versão para impressão | enviar notícia por email | topo